You are currently viewing Desmame

Desmame

Oi Mamães, tudo bem? Hoje vamos falar sobre DESMAME, mas muito importante dizer que a OMS (Organização Mundial de Saúde) fala na amamentação até 02 anos ou mais, e esse post não tem por objetivo estimular o desmame, mas sim, informar as mamães.

Eu sei que muitas mamães tem dúvidas com relação ao desmame, vejo muito isso nos meus atendimentos e recebo muitas questões que envolvem esse período da Maternidade.

Sabemos que o seio bem oferecido na amamentação tem uma função muito além do que somente alimentar.

Erich Neumann, diz que a íntima relação entre mãe e bebê vai cedendo espaço para a relação com o mundo, uma transição da dependência total, para uma independência relativa. Realizar o desmame de forma adequada, possibilita a mãe e ao bebê outras formas de se relacionarem, sem contudo faltar amor.

Como dito o seio, não baseia-se somente na questão alimentar, mas também no fortalecimento de vínculo, um relacionamento amoroso e corporal.

O desmame pode se dar por três fatores, por decisão da mãe, do bebê ou por um fator externo. O fator externo pode ser o mais sofrido para a dupla, já que ocorreu em um momento que não foi o escolhido por eles. Vamos falar um pouquinho sobre cada um deles:

Desmame por escolha da mãe

Parece até feio falar, mas a maternidade precisa ser desconstruída para ser compreendida, e os sentimentos das mamães precisam ser validados. Todos nós sabemos que a amamentação é um ato de amor e doação, e por isso muitas vezes nos deparamos com mamães cansadas, mães que querem ter um corpo mais livre, ou que desejam viver sua sexualidade, ou por vários outros motivos. Sejamos empáticos! Querer manter uma mãe de uma forma forçada pode ferir seu psicológico, e ao invés de ser saudável pode gerar traumas (Winnicott, 2006).

Desmame por escolha do bebê

Nesse caso, observamos que a criança vai substituindo o interesse pelo seio materno. Normalmente aqui, a criança já está com alimentação sólida introduzida e bem aceita.

A medida que o bebê se desenvolve,  vão elegendo outros elementos, outros objetos, e começam a distinguir seu corpo, do corpo de sua mãe.

Desmame por situações externas

As situações externas, normalmente se dão por um fato oposto a vontade da mãe e da criança, pode ser em razão de tratamento médico por exemplo. O retorno ao trabalho poderia também ser elencado aqui, no entanto, com planejamento prévio é possível que manter o aleitamento no retorno ao trabalho.

Nas 3 situações é importante dizer que no desmame, algumas frustrações não terão como ser evitadas, por isso importante realizar de forma gradativa, acolhendo muito bem o sentimento de cada mãe e bebê.

O desmame é um processo único para a dupla mãe bebê, então não existe uma receita de bolo, mas eu vou trazer para vocês algumas dicas que podem ajudar:

  • Seja afetivo  – Eu sei que no início da criança pode chorar muito, e a melhor decisão a fazer é acolher. Identifique o motivo do choro, se é sono, atenção ou realmente fome. Ajude seu filho a identificar o que ele realmente precisa naquele momento, esse é um momento dedicação da mãe. Insira ele nas suas atividades, de a ele pequenas tarefas, adequadas a sua idade.
  • Faça um cronograma rotina que ele possa ver, desenhe, com horários (aqui no Espaço Mãe Coruja nós mandamos fazer de MDF para as crianças, é super legal, e cada criança tem a sua com seu nome…com o desenho da sua rotina…vou fazer um post somente sobre isso, prometo).
  • Antecipe as necessidades do seu filho – muitas vezes as crianças que querem mamar o dia todo é porque querem  atenção, então sugira uma ocupação quando você for fazer alguma tarefa. Por exemplo: “brinca aqui com isso, pertinho da mamãe, enquanto eu vou fazer seu almoço”. “Ajude a mamãe a levar isso…” pequenas tarefas adequadas para a idade. Evite que seu filho fique entediado. Não ofereça o peito, espere a criança pedir. Muitas mamães utilizam desse recurso para que as crianças fiquem quietas rapidamente, e as vezes nem se deram conta do real motivo do choro.
  • As suas roupas também podem te ajudar , troque a roupa que a criança tem fácil acesso ao seio, por outra que exija um pouco mais de esforço. Exemplo: Aquelas roupas com decotes próprios de amamentação, para roupas mais fechadas.
  • Combine que as Mamadas serão enquanto estiver sol- para as mamães que estão querendo o desmame noturno, combine com a criança de mamar somente durante o dia, enquanto estiver sol, isso pode ajudar.
  • Coloque uma musiquinha e o tempo de mamada pode durar até a musiquinha acabar, ou então você pode contar até 10, ou mais.
  • Ofereça um objeto de transição, de apego, pode ser uma naninha, quando o bebê chorar acolha o bebê e  a naninha, mostre ao seu bebê que ele pode “confiar” na naninha, mostre que existem coisas além do peito, procure atividades novas, que você não fazia antes.
  • Se possível, peça alguém de confiança do bebê para ajudar nas “brincadeiras” como levar no parquinho por exemplo, pode ser a vovó, o papai, a titia, a babá.
  • Você pode utilizar exercícios de respiração de forma lúdica, pegar uma florzinha para a criança assoprar, ou uma vela de aniversário bem bonita. Pode também utilizar uma garrafinha da calma (se vocês quiserem aprender a fazer, eu posso ensinar em outro post).
  • É muito importante dizer a verdade, explique para a criança o que está acontecendo, e por fim, respeite os combinados, tente oferecer outra coisa quando o bebê solicitar, algo que o bebê goste muito. Se isso não funcionar, acolha o sentimento do seu filho. Por exemplo: eu sei que você quer, mas agora ainda não é hora, vou te dar um abraço, vou te dar colo, um cheirinho.

Bom, passei para vocês algumas dicas. Me contem se alguém estiver nessa fase, como foi para você vivenciar isso! Até o próximo post! Beijo beijo

Rafaela Cacciatore

Rafaela Cacciatore é consultora em aleitamento materno, laserterapeuta aplicada à amamentação e assessora materna.