Vamos falar sobre o desmame?

Vamos falar sobre o desmame?

Hoje vamos falar de um assunto que muitas mamães encontram dificuldades. “ A palavra desmame, por si só, muitas vezes traz conotações negativas, principalmente para os profissionais cujo trabalho diário envolve grande esforço no sentido de evitar que tantas duplas desmamem precocemente”, como é o nosso caso no Espaço Mãe Coruja.

No entanto, dar as costas as mães que desejam desmamar, também não seria a melhor opção para uma mãe que mais do que alimentar o bebê também se relaciona com ele. É necessário entender o desmame em todas as suas fases e os processos adequados para esse momento, e assim conduzir para que isso seja feito sem grandes traumas, entendendo que o desenvolvimento da criança traz outras formas de comunicação e cuidado.

Mas qual idade ideal para o desmame?

Não foram encontrados dados suficientes para determinar uma idade ideal de desmame, portanto, levaremos em consideração as crianças e sua melhor compreensão na interdição na amamentação.

Com isso, conclui-se que crianças maiores de 1 ano apresentam menos interesse pelas mamadas e maior aceitação de outros tipos de alimentos, bem como aceitação de outras formas de consolo, aceitação de não mamar em determinados horários e ocasiões, menos ansiedade quando encorajada a não mamar, preferência por outra atividade em vez de mamar e segurança na relação com a mãe.

Por sua vez, também não há consenso sobre qual idade considerar o desmame precoce, mas alguns autores apontam para antes dos 12 meses, pelas razões acima explicitas.

É indicado que as famílias quando surgir a necessidade de desmame, não optem pelo desmame abrupto, que é caracterizado pelo fim da amamentação sem qualquer planejamento, isso porque, a criança pode ter uma sensação de desamparo gerando insegurança e rebeldia.

Nota-se o desmame de forma abrupta por mães que desconhecem alternativas, no entanto, o

“Desmame advém da ideia de que o fim da amamentação implica em uma separação entre mãe e bebê, logo, fazendo com que seja necessário o afastamento materno para que se concretize. Essa ideia, no entanto, é contrária ao que propomos aqui com desmame gradual embasado na possibilidade de ampliação do relacionamento bebê-mãe-família-sociedade”…

No próximo post eu volto para falar um pouquinho sobre o Desmame Gradual e dar dicas de como as famílias podem aplicar.

Espero que tenham gostado,

Um beijo, com amor

Rafa

Referência Bibliográfica: Tratado do especialista e cuidado materno infantil com enfoque em

Amamentação/ Tatiana Vargas Castro Perilo. Belo Horizonte: Mame Bem, 2019.

Rafaela Cacciatore

Rafaela Cacciatore é consultora em aleitamento materno, laserterapeuta aplicada à amamentação e assessora materna.